Como entender a parábola do Administrador infiel?

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das parábolas que as pessoas mais se perdem quando vão tentar entender é a parábola do Administrador infiel, onde Jesus nos mostra que a existência requer “malandragem santa” para ser interessante.

Não vou colocar o texto bíblico aqui, mas se você não possui uma Bíblia por perto clique aqui para ler o texto que está em Lucas 16.

Entendendo a Parábola do Administrador Infiel

Jesus fala de um administrador que estava sendo infiel para com o seu patrão (isso não te lembra ninguém?). Na realidade ele estava roubando o seu patrão de uma forma muito inteligente. Diz o texto que o Administrador estava acrescendo um valor as dívidas que os devedores de seu patrão tinham. O texto diz:

“Tendo chamado cada um dos devedores do seu senhor, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu patrão?
Respondeu ele: Cem cados de azeite. Então, disse: Toma a tua conta, assenta-te depressa e escreve cinquenta.” Lucas 16: 5 e 6

Isso significa que este devedor, por exemplo, devia somente cinquenta cados de azeite (cinquenta cados de azeite, seria o mesmo que 1750 litros), o administrador infiel tirou somente o que ele acrescia a dívida fazendo o devedor acreditar que ele estava sendo generoso. Já para o patrão chegaria tudo na quantia esperada. Entendeu?

Jesus diz mais outro exemplo de como o administrador infiel foi “malandro”. Veja:

“Depois, perguntou a outro: Tu, quanto deves? Respondeu ele: Cem coros de trigo. Disse-lhe: Toma a tua conta e escreve oitenta.” Lucas 16: 7

Clique e saiba mais!

Neste caso o devedor devia certa de oitenta coros de trigo, mas o administrador havia cobrado cem, logo ao cobrar a divida correta o administrador ganhou a “compaixão” do devedor. Assim o administrador infiel fez o devedor acreditar que ele estava sendo generoso, e assim quando o patrão o despedisse, ele poderia pedir ajuda a essas pessoas que supostamente haviam sido beneficiadas por sua “generosidade”.

O que Jesus quis dizer ao contar a parábola do Administrados Infiel?

O que Jesus nos ensina nessa parábola é que na vida todos nós somos administradores infiéis (administramos os nossos talentos de maneira infiel, nossa vida de maneira infiel e tudo que Deus nos dá nós administramos de forma infiel), e que todos nós fomos pegos “fraudando” o nosso patrão (Deus), e que chegará o momento em que todos nós teremos que prestar contas a esse patrão, e como sabemos que não teremos como pagar, devemos fazer como esse administrador infiel, acreditar na generosidade humana e apostar tudo nisso! Acreditar que os misericordiosos sempre vão alcançar misericórdia! É isso que Jesus diz, veja:

“E eu vos recomendo: das riquezas de origem iníqua fazei amigos; para que, quando aquelas vos faltarem, esses amigos vos recebam nos tabernáculos eternos.” Lucas 16: 9

Jesus está nos dizendo para transformarmos as nossas riquezas em amizade eterna! Isso é ajuntar tesouros no céu, pois ao invés de aproveitar a oportunidade para roubar um pouco mais, o malandro do administrador infiel resolve apostar tudo na generosidade e acreditar que “eles iriam recebê-lo nos tabernáculos eternos”.  E é isso que eu e você devemos fazer: sempre que tivermos que escolher, devemos acreditar na misericórdia!

Espero que tenha entendido.

Até Já!

12 Comentários


  1. Pois é, gostei muito dessa Parabola e da Historia Tambem…. Deus te Abençoe Luis Enrique, DEUS abençoe este trabalho

    Responder

  2. Eita, eita, temos muito que aprender. Obrigada pelo ensino, ainda não tinha visto essa passagem desta forma.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *