Como entender a parábola das dez virgens?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Uma das parábolas mais conhecidas de Jesus é a chamada “Dez virgens”. Trata-se de uma parábola de natureza escatológica, onde o Reino de Deus é comparado a um conjunto de virgens, ou seja, um conjunto de mulheres puras que estavam aguardando a chegada do noivo. Assim que é anunciado a tão aguardada chegada do noivo, cinco virgens percebem que as suas lampadas estão ficando sem azeite e pedem azeite emprestado as outras cinco. Ora, as cinco que mantiveram azeite suficiente em para as suas lampadas se recusaram a emprestar azeite as outras, visto que se assim fizessem, não lhes sobrariam azeite para a tão aguardada chegada do noivo.

Bom esse foi o resumo do resumo da parábola que pode e deve ser lida antes que você de continuidade a essa leitura. Vamos agora compreender essa parábola. Vejamos:

Todas são virgens!

Veja que apesar de algumas serem chamadas de loucas e outras de prudente, todas são chamadas antes de virgens, o que nos mostra a ideia de que para Deus, todos possuem a mesma possibilidade de salvação!

Para Deus não existe os mais salvos e os menos salvos, não existe o mais capacitado e nem o menos capacitado, em Deus todos estão sob a mesma carência de graça! Você não tem mais chance de salvação do que um muçulmano nascido no Afeganistão e que nunca ouviu falar do nome de Jesus. Em Jesus todos os humanos precisam da mesma graça acolhedora, da mesma fé e do mesmo amor! Portanto pare de se achar melhor que o seu vizinho católico ou melhor do que os praticantes de religiões afro-brasileira, Jesus é a luz que vindo ao mundo ilumina a todo o homem, pois todos precisamos da graça de Deus!

Dormir faz parte!

Observe que todas as virgens dormem aguardando a chegada do noivo. Isto significa que chegará o tempo em que a esperança de todos diminuirá a tal ponto que não se falará mais sobre a “vinda do noivo”. Ora, esse tempo chegou! Observe: a quanto tempo você não olha para os céus com esperança de que ele se rasgue e você seja levado para morar com o Pai?

O que Jesus está nos dizendo é que todos nós estamos sujeitos a essa “desesperança” em relação a sua vinda e isso não é um erro, é só o resultado de um fenômeno chamado “cansaço”:
Você cansa da injustiça,
Você cansa de apanhar da vida,
Você cansa de ver tanta corrupção,
Você cansa de ver tanta violência,
Você cansa de nada dar certo para você,
Você cansa da vida! E assim como o cenário das virgens as fizeram adormecer, o cenário da vida nos fazem perder a esperança na justiça e na vinda de Jesus!

Depende de você!

Lembram-se que no inicio eu disse que não devemos julgar ninguém, pois apesar da nomenclatura “loucas” e “prudentes”, todas são virgens, todas possuem a mesma chance de se salvarem. A nomenclatura só é utilizada por causa da atitude delas! O que diferencia é a atitude!

O que faz com que as virgens prudentes sejam levadas é a manutenção de uma esperança, ou seja, o que faz as prudentes não é a prudencia (já que dormiram) é a manutenção da esperança!

Na vida a esperança é o azeite para manter a chama acesa! A sua vida possui esperança na volta de Cristo?

Como criar esperança para a volta de Cristo?

Como sempre vou deixar um exemplo prático para você aplicar a sua vida ainda hoje, veja:

Jesus disse que os últimos dias seriam marcados pela fome, pelas guerras e pelos desastres. Mas ele diz que os salvos são os que dão de comer a quem tem fome, são os mansos que herdarão a terra e são os pacificadores que serão chamados de filhos de Deus.

Manter viva a esperança da volta de Jesus implica em não se impressionar com o cenário e acreditar que a vida é mais que a noite sombria. Logo, se você ver alguém precisando, ajude! É assim que mantemos o azeite da esperança, pois mesmo que a nossa mente esteja adormecida para a volta do noivo, manteremos a nossa alma e o nosso inconsciente prontos para a qualquer momento subirmos com ele!

Agora, depois de ler isso, você não poderá mais dizer que não sabia!

5 Comentários

  1. Jorge da Silva Abreu

    Boa noite amados, saudações cristãs a todos.

    Vou discordar de você em parte Luiz Henrique, justamente onde você diz: “…que faz as prudentes não é a prudencia (já que dormiram) é a manutenção da esperança! .”, pois o que faz a diferença é a prudência sim, que leva você a tomar uma atitude de fé, que mantém a esperança de salvação, o simples fato de todas elas terem dormido, não significam que estavam desprovidas do azeite, assim como toda pessoa que erra e cai, não significa que está condenada, sem salvação, quando pratica o verdadeiro evangelho.

    Vamos analisar o texto de Mateus 25:1-13:
    1 – Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo.
    2 – E cinco delas eram prudentes, e cinco loucas.
    3 – As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo.
    4 – Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas.
    5 – E, tardando o esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram.
    6 – Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro.
    8 – 7 – Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas.
    9 – E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam.
    10 – Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós.
    11 – E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.
    12 – E depois chegaram também as outras virgens, dizendo: Senhor, Senhor, abre-nos.
    13 – E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço.
    14 – Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.

    Como se trata de um texto escatológico, há várias interpretações possíveis para isto, porém, do meu ponto de vista, a que mais se compara os itens desse texto, vem a seguir:

    1) Virgem ou mulher na Bíblia, pode não só significar uma pessoa só, mas também toda uma igreja (denominação, religião, seita, etc.), e para mim, como se trata de Noivo e Noiva é Jesus e Igreja.

    2) As Lâmpadas (lampiões) pode significar a Palavra de Deus (Bíblia), que você sabe muito bem que existem diversas bíblias com diversas traduções e versões, e algumas até com alguns acréscimos.

    3) O azeite, ai sim, aqui está o que diferencia as prudentes das loucas, pois o azeite significa que as prudentes levavam a prática da verdadeira palavra de Deus em seu coração, ou seja, a prudência que leva-as a esta atitude, da prática daquilo que Jesus realmente ensinou, praticando o amor, a misericórdia e a justiça, que vão exatamente iluminar as suas almas e resplandecer os seus espíritos, e não a prática de vãs doutrinas, religiosidade e diversificação de denominações que não edificam o espírito do indivíduo em nada, e o versículo 3 é bem explícito dizendo que as loucas não levavam o azeite consigo.
    “3 – As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo.”

    Já nos versículos 9 a 11:
    9 – E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam.
    10 – Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós.
    11 – E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.
    Aqui pode significar que quando Jesus voltar, aqueles que ficarem para traz, vão procurar a bíblia e tentar entendê-la e procurar saber onde eles erraram, pois apesar de carregar a bíblia na mão, professando a sua religiosidade mais do que sua fé, não haverá tempo para aquelas pessoas ou Igrejas prudentes lhe ensinar o verdadeiro evangelho, pois não ficarão mais na Terra para ensiná-las, onde as prudentes lhe aconselham a procurar mercadores de azeite, ou seja, alguma outra Igreja prudente, que pudesse haver, para que lhe ensinasse a verdadeira prática do evangelho, ou como também pode significar que tais mercadores do azeite, seriam os mercadores da fé (falsos profetas), em que as Igrejas loucas depositaram a sua fé, pois aqui neste texto, existem estas duas correntes possíveis.

    Quanto a você dizer que tanto as prudentes quanto as loucas estão no mesmo nível da graça, como também sujeitas ao fracasso (dormir), pois todas elas dormiram, isto é concordo, pois não existem pessoas como Igrejas perfeitas e todo nós, sendo indivíduos ou Igrejas, estamos sujeitos a todas intemperes da vida que você citou no final do post, contudo o que realmente vai fazer a diferença e a manutenção na esperança de salvação, será mesma a prudência que levará a prática (levando o azeite) do verdadeiro evangelho de Jesus Cristo.

    A Paz.

    Jorge.

    Responder

    1. Olá Jorge!

      Vejamos alguns itens:
      1- Eu não creio na ideia de que as virgens representem alguma denominação, religião ou seita, pois assim fazendo estaremos reduzindo a possibilidade de salvação somente para quem pertence a algum grupo. Ora, supondo que você tivesse nascido na China comunista, na década de 50… Você não pertenceria a nenhum grupo religioso, então estaria condenado? Igreja não é um grupo que se divide em categorias denominacionais e nem religiosas… Igreja é todo aquele que escolhe seguir os preceitos de Jesus, às vezes sem nem saber da existência histórica dele.

      2- Mais uma vez caímos em um reducionismo, pois a Bíblia (conjunto de livros), é só um livro. Palavra de Deus é Jesus, o verbo vivo de Deus. Veja: Se somente a Bíblia é a palavra de Deus, o que acontece com aqueles que nunca tiveram a oportunidade de estudá-la? Não podemos reduzir Deus a um livro, o livro é importante, mas o que faz dele a Palavra de Deus é Jesus. Por isso temos tantas denominações e cada uma prega o que acha que é a verdade e acabam se contradizendo. Poucos estão pregando Jesus, a maioria está pregando o livro!

      3- Se as prudentes levavam a prática a Palavra, por que dormiram? Porque a salvação não é vem por obedecer a Palavra! Eu obedeço a Palavra, porque já estou salvo e não para ser salvo! Se assim não fosse a salvação viria por méritos próprios e não pela Graça. Levar o azeite significa ter esperança em relação a chegada do noivo, é aquele grãozinho de mostarda, entende? Observe todas as parábolas de Jesus que tratam deste tema, todas elas possuem palavras como: “tardando”, “demorando”, e outras palavras que nos mostram que o importante para nós é mantermos a esperança e só mantem a esperança quem possui fé para bancá-la.

      Sobre o restante, concordo em partes com você Jorge…

      Fica na Paz irmão! É um prazer receber comentários inteligentes e os seus são sempre bem vindos!

      Até Já!

      Responder
  2. Jorge da Silva Abreu

    A paz de nosso Senhor Jesus a todos.

    Luiz Henrique, para mim também é um prazer debater com pessoas inteligentes, as quais entendem que o debate é simplesmente para ouvir as diversas opiniões, sempre respeitando os pensamentos e as opiniões dos outros, e é por isso que sinto prazer de comentar aqui, debater e respeitar o seu ponto de vista, não só por isso, mas também para esclarecimentos da palavra de Deus até para nós mesmos, que aprendemos muito com isso.

    Voltando ao foco da questão, vamos analisar todos os quesitos que você postou.

    1) É claro que concordo com você em gênero, número e grau, quando diz que não podemos reduzir ao um determinado grupo, o alcance da graça da salvação que Deus nos deu, como certas religiões dizem que só 144 mil serão salvos quando interpretam Apocalipse 7:4, pois se lessem o capítulo todo veria que não só seria 144 mil. Entretanto ao analisar a parábola das dez virgens (Mateus 25:1-13), vemos que as pessoas que não creem em Deus (Ateus, Chineses, Budistas, Comunistas, Cientistas e etc), não estão incluídos no contexto da história que o texto narra, pois o texto não fala sobre pessoas que não creem em Deus, porém isto não significa que estas pessoas que não creem em Deus estejam excluídas do alcance da graça de salvação. Jesus estava falando sobre religiões que deturpam a palavra de Deus, e não de pessoas as quais serão salvas e as que não serão. Ao voltarmos um porquinho na história, melhor dizendo, muito tempo na história, talvez você perceba neste texto que Jesus estava pregando para um grupo de pessoas na maioria de seus compatriotas judeus, isto também não quer dizer que Jesus fazia accepção de pessoas, por isso eu disse na maioria, e Jesus estava fazendo um previsão de tempo futuro, tendo como referência ao seu tempo presente, onde estava cercado de várias seitas políticas religiosas (Saduceus, Fariseus, Zelotes, Escribas, Essênios). E o que vemos hoje? Vê se não é zilhões de religiões que se multiplicam a cada dia, adotando doutrinas que não leva a edificação do espírito, cada qual achando-se que é a religião certa a se seguir, tal qual na época de Jesus, talvez por isso Jesus dividiu as virgens como cinco virgens loucas (Saduceus, Fariseus, Zelotes, Escribas, Essênios) e outras cinco como prudentes, ate mesmo para equiparar as religiões, levando em conta que essas virgens prudentes seriam as possíveis novas igrejas que Jesus iria edificar futuramente, transformando-se em uma única igreja (única Noiva) e que a prudência delas seriam exatamente que elas ouviriam e aceitariam todos os ensinamentos de Jesus, incluindo-se nesses ensinamentos a esperança da sua segunda vinda, onde elas ressuscitariam ou seriam arrebatadas com Jesus (Noiva ataviada com o Noivo).

    Enquanto isso Jesus também fala de um parábola dos convidados a um banquete nupcial (Mateus 22:1-14), ai sim, aqui estão incluídos todas aquelas pessoas que não creem em Deus, pois Jesus referia-se os convidados como aqueles que estavam fora do grupo do judaísmo na sua época, e nos dias de hoje, aos que não creem em Deus ou que não fazem parte do Cristianismo. Quando o versículo 3 cita que o Rei enviou seus servos a chamar convidados para as bodas de seu filho, significa que os servos seriam os discípulos de Jesus que foram os Apóstolos, e hoje em dia, eu ousaria até dizer que são aqueles Missionários que vão para todas as partes do mundo pregando o verdadeiro evangelho. Mas o que narra os versículos posteriores é que muitos não aceitaram, porém o versículo dez diz assim:”10 – E saíram aqueles servos pelos caminhos, a ajuntaram todos quantos encontraram, TANTOS MAUS COMO BONS; e encheu de convivas a sala nupcial”. Veja que aqui Jesus inclui até aqueles que são maus, talvez fazendo referência aquelas pessoas céticas que não creiam em Deus, até pessoas que praticam maldade. Já no versículo onze em diante fala de um convidado sem as vestes nupcial, suponho ser um indivíduo que seria um fundador de uma falsa doutrina baseada no Cristianismo criando denominações, talvez ao cantarmos o hino 123 – Seja bendito o Cordeiro, cujo refrão fala “Alvo mais que a neve.”, possamos entender o que seria aquelas vestes nupciais. Assim possamos entender que apesar da graça de salvação ter um alcance mundial, isto não significa que todos serão salvos, e é justamente o que esta parábola diz sobre aos convidados que não aceitaram o convite, pois só poderá ser salvo tantos quantos aceitam a Jesus como salvador, isto não é limitar a graça de salvação a alguns escolhidos, apenas é estreitar a porta para aqueles que estão dispostos a aceitar Jesus, pois a palavra de Deus é enfática quando diz:
    Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele QUE NELE CRÊ, não pereça, mas tenha a vida eterna.João 3:16
    E eles disseram: CRÊ NO SENHOR JESUS CRISTO e serás salvo, tu e a tua casa. Atos 16:31.
    Isto é, a justiça de Deus pela FÉ EM JESUS CRISTO para todos e sobre todos os que CREÊM; porque não há diferença. Romanos 3:22.

    Você sabe o que aconteceu com a Igreja primitiva, que abandonou tudo e seguiu os Apóstolos na esperança de que Jesus voltaria naquela época, Quantas previsões em tempos recentes muitos previram a volta de Jesus. William Miller previu que Jesus voltaria e o mundo acabaria em 23/04/1843. Já Joseph Smith previu a volta do Senhor em 1891, e quantas falsas promessas do retorno de Jesus, bem como o fim do mundo já houveram em tempos bem recentes (2011 e 2012), por isso eu não só acho que só a esperança de arrebatamento ou ressuscitação dos fiéis não seriam o suficiente.

    2) Realmente, Deus não está limitado a uma compilação de livros chamado de Bíblia, até porque o termo bíblia não somente está relacionado a palavra de Deus, porém a Bíblia Sagrada está tão somente limitada a palavra de Deus, o que quero dizer é que eu, quando estava no mundo, fui um dos maiores críticos da Bíblia alegando que ela tinha sido escrita por homens, contudo o meu véu começou a cair, pela insistência da minha esposa, que falava a todo o tempo:”olha ao seu redor e veja se tudo que acontece não está escrito na Bíblia.”, foi quando percebi que ela falava a verdade, ai comecei a me interessar pelo estudo da palavra, e não é o que diz a palavra? “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” Romanos 10:17, e a palavra de Deus está escrita onde? Em mais algum outro livro que se intitule a palavra de Deus? E se muitas pessoas que não tiveram oportunidade de estudá-la, ou por falta de interesse ou até mesmo por falta de oportunidade, talvez seja isto porque Jesus ainda não tenha voltado, dando oportunidade a estas pessoas de conhecerem a Jesus através de Sua palavra. Ainda posso supor que na parábola das dez virgens, quando as virgens prudentes mandam as loucas comprarem o azeite, possa haver ai um lapso temporal, de que quando Jesus voltar, aqueles que ficarem para traz e não acreditaram ou não praticaram o verdadeiro evangelho, vão se arrepender e ter uma segunda chance, pois os que não criam, vão procurar a bíblia, e os que criam e não praticavam o verdadeiro evangelho, vão procurar fazer exatamente o que Jesus ensinou, isto é, eu disse que suponho.

    3) Quando falo da prática do verdadeiro evangelho, é a prática de um ensinamento crucial que Jesus nos deixou sobre o amor a Deus e ao próximo. Devemos amar mais ao próximo do que a Deus, ou a Deus do que ao próximo? As pessoas que tentam amar a Deus mais do que o próximo, faz exatamente o que você falou, prega mais o livro do que os ensinamentos de Jesus. E o que acontece quando amamos mais o próximo do que a Deus? Novamente faz o que você disse, um monte de caridades, com o objetivo de serem salvos. Quando verdadeiramente amamos a Deus com o coração aberto, o mesmo amor ao próximo é consequência, assim como a recíproca é verdadeira, e consequentemente vem a obediência da palavra, ou seja, você realmente obedece por entender que já foi salvo, e não para ser salvo, e se você já foi salvo por ouvir a palavra, se amar ao próximo como a ti mesmo, vai também querer salvar aquele a quem você ama e fazer o outro ensinamento de Jesus que é o IDE, entendeu? Por isso entendo que apesar das obras não salvarem ninguém, porque ninguém é salvo pelos próprios méritos, ora, mas as obras estão ligadas a fé (Tiago 2:18-20), apesar de que o que realmente o que salva é a graça. (Efésios 2:9), mas a salvação vem pela fé (Efésios 2.8). Resumindo, o caminho a ser percorrido é Fé – Salvação – Obras, nunca Obras – Fé – Salvação. Contudo creio que pela carta do Apóstolo Paulo aos Efésios, somente a fé em Jesus Cristo é o suficiente para sermos salvo, porém o tamanho da sua fé pode ser limitada pelas suas obras. Assim sendo, entendo que tanto o amor a Deus e ao próximo devam ser equiparados, a fé, salvação e obras tem que ser na mesma intensidade.

    Por isso creio que você será justificado pela fé, salvo pela graça, e julgado pelas obras.

    Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei. Romanos 3:28.

    Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
    Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
    Efésios 2:8,9

    Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.
    Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
    Tiago 2:17,18.

    Graça e paz

    Jorge.

    Responder
  3. Jorge da Silva Abreu

    Olá, sou eu de novo.

    Gostaria de acrescentar ao meu post, exatamente no item 3, o seguinte comentário:

    Pois a salvação sem as obras, talvez possa significar o sono das Igrejas prudentes, pois como disse em post anterior ao meu, não existe Igreja perfeita, tal qual não somos perfeitos, e mesmo a verdadeira Igreja que Jesus edificou, está sujeita a todas as intemperes da vida citadas por você Luiz Henrique.

    Você cansa da injustiça,
    Você cansa de apanhar da vida,
    Você cansa de ver tanta corrupção,
    Você cansa de ver tanta violência,
    Você cansa de nada dar certo para você,
    Você cansa da vida! E assim como o cenário das virgens as fizeram adormecer, o cenário da vida nos fazem perder a esperança na justiça e na vinda de Jesus!

    E acrescento, nos faz perder o amor pela Obra de Jesus

    Jesus disse:
    Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. João 16:33.

    O tema de Missões Mundiais esse ano é: “Leve a esperança”, porém, se você ver o vídeo, verá que essa esperança não está só relacionada com a volta de Cristo, mas também uma esperança de paz, de sobrevivência, de ter um lar reconstruído, de ter alguém que os amem, que os liberte de um política de intolerância religiosa, pois a história que vemos na guerra civil na Síria, chega a dar dó, e não há como não ter compaixão por aqueles povos que sofrem. Isto sem contar com os que sofrem também em nosso pais, apesar de não haver guerra civil.

    A paz.

    Jorge.

    Responder

    1. Sim Jorge, até porque Jesus nos diz que no fim dos tempos haveria fome, mas os salvos são justamente os que dão de comer… Os salvos são os que “lutam contra as profecias do fim”: dando de comer a quem tem fome, de beber a quem tem cede e cuidados dos feridos e necessitados.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *