Paulo em Filipos: História e Poder!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Depois de receber uma visão que dizia para ele “passar a Macedônia”, Paulo leva consigo Silas e Lucas para uma cidade chamada Filipos. Veremos agora mais sobre esta aventura de Paulo para levar o Evangelho e também sobre a história desta cidade. Acompanhe-nos no estudo: Paulo em Filipos.

Se gosta e admira os ensinos do Apostolo Paulo, considere ler também:

 

A cidade de Filipos

Como sempre defendi aqui no blog, antes de mais nada precisamos entender o contexto histórico relacionado a este lugar.

Filipos era uma das mais importantes cidades do Império Romano, isto porque era porta de entrada dos viajantes que provinham da Ásia. Esta cidade remonta dos trácios e foi conquistada no ano de 358 a.c. pelo pai de Alexandre, o Grande: o rei da Macedônia Filipe II. Dai o nome da cidade ser Filipos.

Paulo em Filipos
Ruínas de Filipos nos dias de hoje.

 

É importante lembrarmos que na cidade de Filipos não havia sinagogas devido ao baixo número de judeus que residiam naquela região.

Paulo em Filipos

Paulo chega em Filipos e, como era de costume, ele procura uma sinagoga para pregar o Evangelho. Não a encontrando, ele aguarda até sábado e passa para além dos muros da cidade e próximo ao rio chamado Gangites ele encontra algumas mulheres que ali se ajuntavam para orar. E dentre estas mulheres estava Lídia, uma vendedora de púrpura que era da cidade de Tiatira. Esta mulher hospeda a Paulo e a seus amigos em sua própria casa.

Estude Teologia hoje mesmo!

A garota que adivinhava

Durante o trajeto entre a casa de Lídia e as margens do rio Gangites eles encontram uma garota que tinha um espirito de adivinhação e que devido as suas adivinhações, dava grande lucro para os seus donos.

Esta garota seguiu a Paulo e seus amigos por muitos dias dizendo sempre que os via: “Estes homens são servos do Deus altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação”. Mas Paulo tomado de indignação, expulsa este espirito e liberta a garota em nome de Jesus.

Este ato gera consequências para Paulo e para Silas. Ambos são acusados de “perturbar a cidade” e pregar costumes “não romanos”.

Os magistrados da cidade deram ordens para que eles fossem açoitados e lançados na prisão.

O terremo

Depois de serem lançados na prisão, Paulo e Silas começam a louvar e orar a Deus. Mas a meia noite um terremoto seletivo, porém violento, arrebentou os alicerces da prisão e as correntes se soltaram. O carcereiro que havia recebido uma ordem direta para vigiar-los com cuidado, se desespera, puxa a espada e ameaça se suicidar. Paulo logo o tranquiliza dizendo que todos ainda permaneciam na prisão.

O carcereiro se converte a Jesus, leva a Paulo e a Silas para sua casa, cuida das suas feridas e lhes da de comer.

A cidadania romana

Ao amanhecer, os magistrados enviam soldados para libertarem a Paulo e Silas. Mas Paulo cobra para que eles mesmos (os magistrados) os libertassem, pois sendo eles cidadãos romanos foram castigados sem um julgamento formal. Este ato de castigar os dois sem um julgamento, poderia levar os magistrados a perderem o cargo. Sendo assim, eles mesmos foram até Paulo e Silas e os libertaram, pedindo para que eles saíssem da cidade.

A lição mostrada por Paulo em Filipos

A grande lição que podemos aprender desta aventura de Paulo, não é o que a maioria dos evangélicos pensam: “o louvor derruba os grilhões”. Isto é muito óbvio, não é mesmo!?

O que podemos aprender é que não devemos nos impressionar com as palavras, mas sim discernir o espirito! Paulo não se impressiona com as palavras da garota: “Estes homens são servos do Deus altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação”, mas discerne o espirito por de trás da afirmação.

Espero que você tenha entendido!

Paz e Graça!

4 Comentários


  1. Tarefa difícil mas não impossível, tenho certeza, viver no espírito.

    Responder



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *