A Bíblia é historicamente verdadeira?

Tempo de leitura: 3 minutos

“A Bíblia foi um livro escrito num período de aproximadamente 1500 anos por mais de 40 autores.”

Somente a frase acima já demostra a sobrenaturalidade com a qual a Bíblia está relacionada. Um livro que é escrito num período de 1500 anos, passando por diversas transformações sociais e intelectuais (afinal, o que não acontece em 1500 anos?) e ainda assim sobreviver, é de fato algo para no mínimo ser estudado.

Você poderá entender algumas colocações lendo o livro “Mais que um carpinteiro” de Josh McDowell.

Como comprovar a veracidade da Bíblia?

Uma das coisas que precisamos compreender é que a fé cristã não é resultado de ignorância, muito pelo contrário, ela é histórica! É tão histórica que podemos afirmar “a Bíblia é mais valida do que qualquer texto da Literatura Clássica!”. Me desculpem os ateus de plantão, mas vou repetir: “a Bíblia é mais valida do que qualquer texto da Literatura Clássica!”.

O primeiro fato que comprova a minha tese é o da “Bibliografia”. Nesta avaliação, veremos a distância entre o original e a cópia mais velha que se temos de um documento. Neste caso, vamos avaliar Platão:

Papiro Chester Beatty
Papiro contendo II Coríntios 11:33-12:9

Do momento histórico em que Platão escreveu, até a data da cópia mais velha que temos dos seus escritos, há um intervalo de 1200 anos. Agora verificando o Novo testamento, as evidências são infinitamente mais solidas. Elas iniciam-se com as descobertas dos papiros de John Rylands, num intervalo de 100 anos! Depois com os papiros de Chester Beatty 155 anos e 200 anos com os Papiros de Bodmer. Estes papiros são diversas porções da Bíblia. Portanto somente se compararmos as datas, veremos que os intervalos são infinitamente menores do que os de Platão. Sendo assim a a possibilidade da Bíblia ser uma fraude é pequena, pois o intervalo entre a escrita e a cópia mais velha que temos dela é historicamente muito curto!

Mas se você ainda não se convenceu da veracidade das escrituras, vamos falar um pouco sobre a “Manuscritologia”.

A Manuscritologia do Novo Testamento

A Manuscritologia trata da quantidade de cópias que se tem de um texto original, pois como sabemos os textos antigos eram escritos em material perecível, portanto diversas cópias de um mesmo documento eram feitas para preservar o escrito. Sendo assim, quanto mais cópias de um mesmo documento nós temos, mais fácil fica comprovarmos a sua veracidade, pois mais próximo estaremos do original.

Vou exemplificar isto com Platão:

Qualquer texto que se tenha de Platão, vem de uma das sete (7) cópias de Platão que se tem no mundo. Já o Novo Testamento bíblico, aparece com cerca de 14.000 cópias!

É claro que não quero desmerecer nenhum texto da literatura clássica, muito menos de Platão! Mas se formos historicamente corretos, diremos que a Bíblia está em pé de igualdade com qualquer texto da Literatura Classica!

Se você deseja se aprofundar ainda mais, sugiro o livro “Mais que um Carpinteiro“. Algumas das teses aqui apresentadas foram inspiradas neste livro.

Considere ler também:

13 Comentários

  1. ORLANDO SILVA SOUZA

    Na verdade não tenho dúvidas quanto os escritos na Bíblia,mas tenho um questionamento quanto às Leis: é que quando Deus instituiu o Decálogo(10 Mandamentos), foi para corrigir uma lei que já existia.Pois no meu entendimento,Adão e Eva não foram os primeiros habitantes da terra, tanto é que quando Caim Matou seu irmão Abel(Gen.4.8-12),daí como consta em Gn.4.13-16) Caim ficou aterrorizado quando o Senhor Deus o Inquiriu e o espulsou, ele falou que teria de ser expulso daquela terra e seria um fugitivo errante pelo mundo e qualquer que lhe encontrace o mataria.Daí é que No meu entendimento o Senhor Deus praticou o primeiro Perdão(a Caim), pois o Senhor falou que se alguem matasse CAIM, SOFRERIA SETE VEZES A VINGANÇA. Daí vingança de de” QUEM’, pois com a morte de Caim não haveria mais ninguem,tou certo?

    Responder
    1. ORLANDO SILVA SOUZA

      Aguardo que seja levado em consideração os meus comentários(argumentos) ok?

      Responder

    2. Orlando paz e graça! O que precisamos entender é que a Bíblia não é narrada em ordem cronológica. Na minha visão haviam outros habitantes na terra além dos apresentados inicialmente. A versão da Bíblia de Matos Soares nos diz nesta passagem uma frase interessante: “Passados muitos anos…”, ou seja, muitos anos é tempo suficiente para que a terra se povoasse. Além disto precisamos entender que a Bíblia não é um manual exato de como o mundo começou, pois o objetivo da Bíblia é Jesus, ele é o verbo que se fez carne! Muitos fatos históricos como os gigantes (os seres híbridos de Gênesis 6), os dinossauros e outras provas comprovadas cientificamente não são narradas ou são narradas superficialmente, pois o objetivo de todo o texto é nos mostrar o todo da vida, Jesus. Quem lê a Bíblia tentando fazer dela um manual cronológico da história humana ficará louco, pois este não é o objetivo dela. Espero ter ajudado!

      Paz e Graça!

      Responder
  2. cicero Derivaldo de alencar

    eu a credito verdadeiramente nas escritura e recebo ela como espirito e verdade, creio que a bíblia e corporificada,e vai alem da tinta preta no papel branco.

    Responder
  3. Jorge da Silva Abreu

    Paz e graça aos irmãos.

    Pois eu creio que Adão foi o primeiro homem e Eva a primeira mulher, pois assim como disse o nosso irmão Luiz Henrique, a bíblia não apresenta uma cronologia exata, até porque sua finalidade é conduzir até Jesus Cristo. Outra coisa que devemos entender que como foi relatado no post inicial, a bíblia é um livro que foi escrito num período de 1.500 anos aproximadamente, eu diria até mais, portanto o que precisamos entender são as diferenças entre a história geo-política, sócio-econômica e sócio-cultural de todas épocas por qual a bíblia passou a ser escrita. Acreditam-se que começou com Moisés em aproximadamente 1.440 a.C. no deserto de Sinai, na época monte Horebe, onde a autoria do Pentateuco, o que os Judeus chamam de Toráh (Gênesis, Êxodo, Números, Levítico e Deuteronômio), é atribuída a ele, nesta época o calendário, ou melhor, os calendários da época não era igual ao nosso, pois havia vários calendários em culturas de diversas sociedades. Entretanto há até controvérsias sobre esta questão da autoria, pois alguns teólogos acreditam que esta autoria de Moisés tenha passada pela tradição oral, até porque eles acreditam que Moisés, por ter sido criado pela filha do faraó, foi ensinado por ela na língua egípcia ou ensinado pela sua ama-seca que foi sua própria mãe legítima com a língua aramaica, e o texto original do Pentateuco ou Toráh, foi escrito no original em hebraico, o que nos dá a entender que o Pentateuco só passou da tradição oral para linguagem escrita, aproximadamente na construção do Segundo Templo com Esdras retornando do cativeiro babilônico e fazendo uma compilação do Toráh isto em 480 à 430 a.C aproximadamente, ou seja, quase um milênio depois. Só por esta razão pode se perceber a dificuldade de se tentar datar a história, até porque também a finalidade não era esta.
    Outra questão que confunde muito certos irmãos e que todos acham que Caim foi o primeiro filho de Eva, enquanto que Adão foi o segundo, no texto que diz: ¶ E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem.
    E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.” Gênesis 4:1-2, E depois questionam quando Caim matou Abel, ele, ao fugir para a terra de Node, encontrou lá uma civilização. Se percebemos bem, em Gênesis 4:1, a expressão “…Alcancei do SENHOR um homem.” podemos perceber não só a alegria de Adão e Eva, mais também a sua surpresa por ter conseguido um filho homem, o que pode significar que até então, Adão e Eva só tiveram filhas (mulheres) e que depois que teve Caim, o primeiro filho homem, nasceram outros homens.
    Observando ainda o texto em:”E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor.”Gênesis 4:3, A expressão “….ao cabo de dias….” pode ser um linguagem figurada, uma metáfora, ou seja, “ao cabo de dias”, ao findar o dia propriamente dito, pode significar ao cabo ou ao findar da década ou do século, pois esta expressão não dita exatamente em qual evento do contexto histórico tenha ocorrido. Talvez já tenha até explicado aqui no Site, que não devemos ler a bíblia como uma literatura clássica, ou apenas um livro histórico, devemos sim, entender de história bíblica para que possamos compreender o quanto a bíblia é e sempre será um livro inspirado por DEUS.

    Responder





  4. Y.M.

    Sobre a cópia de Platão, há que se lenbrar de que, por meio do domínio romano, a niblioteca de Alexandria foi totalmente destruída.
    O que dificultaria qualquer cópia do que se havia construído.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *