A Genuína Conversão

Hoje em dia todos são evangélicos, todos são cristãos. E pelo fato de todos serem cristãos, nós já não sabemos mais o que é a genuína conversão. Alguns já nem sabem mais se são genuinamente convertidos. Mas existem sinais que nos dizem quem são os verdadeiros convertidos, e na minha opinião o verdadeiro sinal do genuíno cristão é a mudança de mente!
Existem pessoas que pensam que ser cristão significa largar os amigos que outrora lhes fazia companhia, largar as músicas que antes eles apreciavam e gostavam, é viver isolado do mundo e como um soldadinho que o general pede para ele “vira para direita” ai ele vira, “vira para esquerda” ai ele vira. Muitos vivem assim, a maioria não é feliz, vivem como robôs, as pessoas que antes eram seus amigos, já não são mais… enfim, ele vive no seu “mundinho”, e acha que isso é conversão. Acha que está vivo na graça… que graça?
O genuíno Cristão ele muda sua própria mente, e por conseqüência muda seus próprios atos! Se antes ele só pensava em fazer o mal, hoje ele só pensa em fazer o bem; Se antes ele só espalhava o mal, hoje ele só espalha o bem.
Paulo nos diz que “…andávamos segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência…”, agora o que é andar segundo o curso deste mundo? O que é o mundo? É claro que quando Paulo nos diz “mundo”, ele não fala da terra, nem do universo! Porque se eu não faço parte da terra eu sou o que, um alienígena? Claro que não! O mundo da qual Paulo fala é o mundo feito das distorções dos sentimentos…
É o mundo do puro sentimento perverso…
É o mundo da insegurança que encolhe a pessoa ou que a faz partir para a guerra…
É o mundo da cobiça…
É o mundo da vaidade…
É o mundo da trama e desconfiança…
É o mundo da ilusão de importância sobre os demais…
É o mundo de poder do homem sobre tudo…
É o mundo da mentira e desfaçatez…
É o mundo do medo que faz matar ou morrer…
É o mundo da superabundância para uns e fome para o vizinho…
É o mundo do instante…
É o mundo do culto aos sentidos…
É o mundo do culto ao prazer…
É o mundo da aparência, é forma, é estética ou é feiúra…
É o mundo feito de reis e de escravos…
É esse o mundo da qual Paulo fala, da qual outrora nós andávamos e que agora fomos libertos dele!
O genuíno convertido não cobiça, não tem vaidade, não se ilude com o poder, ao contrário, usa o poder que Deus através dos homens lhe deu, para beneficiar o próximo; não olha aparência porque para ele, todos são iguais; não julga, ao contrario, ora; não tem o medo que faz matar ou morrer, porque para ele o viver é Cristo e o morrer é lucro!
O genuíno cristão ele não espalha fofoca nem contendas, o genuíno cristão não se deixa levar pelas ondas da esperteza, mas faz o que é justo!
Esses sim são os genuínos convertidos! Eles não mudaram a roupa nem os costumes, eles mudaram a mente!

Luiz, SP
17/11/2010

4 Comments

  1. Nossa muito bom, eu li umas duas vezes! Eu concordo com você, as pessoas pensam que não ir à igreja é se afastar de Deus, e ir é ter os pecados perdoados, quando na verdade é viver em Cristo que faz isto…

    Eu me indentifico com este texto, porque compreendo isto, eu já não acreditei, porém passei a crer, e foi inacreditável, sabe, você pensa que Jesus é um homem comum, e depois percebe que é Impossível Ele ser um homem comum por tal perfeição.

    Eu mudei tanto minha mente, e minha vida, que meu blog é prova, também dá pra entender porque há tantos ex-ateus e agora cristãos que fazem palestras, debates, livros sobre Cristo…

    Até mais,
    abraços!

  2. Obrigado Poisdron.

    Bom saber que ainda existem pessoas como você, genuinamente convertido!

    Abraços!!

  3. Com toda certeza! O genuínamente cristão não muda nada que é externo! Mas muda o seu interior! Especialmente sua mente! Seu modo de agir, pensar e falar, abandonando sua vida de pecado! Pois dizem asssim escrituras: “E assim, se alguém está em Cristo é nova criatura, as coisas antigas se passaram, eis que se fizeram novas.” 2 CORÍNTIOS 5:17. A paz!

  4. ,Concordo plenamente! No meu caso essa mudança não foi repentina. O Espirito Santo vai nos modificando aos pouquinhos. E como o joalheiro que transforma um diamante bruto através da lapidação em um lindo brilhante valorizando-o no máximo. Parece até que durante o aprendizado cada vez que você erra sente como se algo o machucasse e as vezes eu me perguntava: Será isso o espinho na carne que o apóstolo Paulo sentia? Hoje eu me sinto totalmente transformado e encaixado na genuína conversão.

Comments are closed