Um coração que agrada a Deus

Texto Bíblico: Tiago1:27

Panorama da situação do mundo hoje: “E agora, ó Israel, que é que o Senhor teu Deus pede de ti, senão que temas ao Senhor teu Deus, que andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor teu Deus de todo o coração e de toda a tua alma” Dt 10:12 Temer, andar nos caminhos, amar e servir de todo o coração é o que Deus espera de nós. “Amá-lo de todo o coração, de todo o entendimento, de toda a alma e de todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, excede a todos os holocaustos e sacrifícios” Mc 12:33 Amar a Deus e ao próximo excede qualquer atitude externa. As nossas atitudes agradam a Deus se forem coerentes com o que estiver e nosso coração. Todas as nossas ações precisam estar dentro da motivação correta e direcionadas sempre para a pessoa de Deus, manifestando a Sua glória e honrando o Seu nome. “Idéia boa com a motivação correta dá certo. Idéia boa com a motivação errada dá errado.” A garantia de que Deus está satisfeito conosco em nosso ministério depende das atitudes do nosso coração.
F.T. Um Coração que Agrada a Deus:
1. É Puro em suas Atitudes. “…Religião pura e imaculada para com o nosso Deus.” Deus sempre se mostrou interessado na pureza do seu povo e colocou a purificação como um pré-requisito para qualquer serviço religioso. “Assim santificaram-se os sacerdotes e os levitas, para fazerem subir a arca do Senhor Deus de Israel” (I Cr 15:14) “Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus” (Mt 5:8)
Um coração puro…:
É livre da vaidade
Tem uma fé sincera
Não é alimentado por mentiras, mas ama a verdade
É obediente à Palavra de Deus
Tem sempre a paz de Cristo.
2. É Sensível às Necessidades das Pessoas “…visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições…” As pessoas sempre foram prioridade no ministério e na vida de Jesus. Nossa agenda deve sempre estar sensível as necessidades das pessoas, muitas vezes não estão planejadas e podem ser imprevisíveis. Podemos observar isto no episódio da mulher samaritana, na cura da mulher que tinha uma hemorragia crônica, ao ressuscitar a filha de Jairo e em todos os milagres que operou. “As pessoas são sempre mais importantes do que as coisas.” “Pessoas são sempre mais importantes que as notas musicais.” “O processo é mais importante do que o produto” Muitas vezes nos preocupamos com metas e resultados e esquecemos das pessoas. Desvalorizamos relacionamentos, invertemos prioridades e muitas vezes nem consideramos a opinião dos outros obcecados por alcançar um resultado. “Alegrai-vos com os que se alegram, e chorai com os que choram” (Rm 12:15) “Suportai-vos uns aos outros” (Cl 3:13) “Levai as cargas uns dos outros” (Gl 6:2) “Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos.” (Rm 15:1) A nossa visão deve ser o Reino e a não a nossa própria vida. Devemos trabalhar, produzir mas sempre cuidar de pessoas e mantermos o nosso coração sensível às necessidades, carências e lutas de quem está ao nosso redor.
3. Deixa de Lado o Secularismo. “… e guardar-se incontaminado do mundo.” Ser mundano é estar desviado das coisas do céu e dos ensinamentos da Palavra de Deus. Não conseguimos viver fora do mundo como se estivéssemos em uma “bolha”. Devemos estar no mundo mas não ser do mundo. Influenciar e não absorver conceitos e práticas incrédulas. Somo sal e luz! “Não ameis o mundo nem o que está no mundo.” (I Jo 2:15)
Os pensamentos do mundo secular na pós modernidade é:
Minam a influência da verdade, “O que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas, sufocam a palavra e ficam infrutífera” (Mt 13:22)
Ilude as pessoas com uma falsa segurança, “Pois nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca e não o perceberam, até que veio o dilúvio.” (Mt 24:38,39)
Influencia seus valores, “… nos quais andastes outrora, seguindo o curso deste mundo” (Ef 2:2)
Conduzem à apostasia, “Porque Demas me abandonou, amando o presente século.” (II Tm 4:10) Somente conseguimos deixar de ser mundanos quando somos transformados pela renovação do nosso entendimento nos tornando inconformados com este século. Quando deixamos de ser influenciados pelo mundo:
Buscamos fazer a vontade de Deus e as nossas atitudes refletem o que Deus espera de nós. “…para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12:1)
A nossa glória está na Cruz de Cristo. “Mas longe de mim esteja gloriar-me senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo” (Gl 6:14)
Mantemos como prioridade Deus e o Seu Reino. “Nenhum soldado em serviço se embaraça com os negócios desta vida.” (II Tm 2:4)
Rompemos com o pecado e nos alegramos no Senhor. “Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que, por algum tempo, ter o gozo do pecado” (Hb 11:25)
Conclusão:
O nosso desejo e um dos grandes propósitos de toda esta movimentação é que você, congressista, preletor e amigo visitante, renovem diante de Deus o seu compromisso e o seu amor para com Ele. Que tudo que você vir, ouvir e fazer o levem a uma auto-avaliação e que o seu coração seja purificado, renovado e motivado para servir a Deus. Que você tenha depois desta experiência de adoração um coração:
Puro e sem culpa diante de Deus
Sensível às necessidades das pessoas
Livre da influência do mundo.
Deus nos abençoe e renove em nós, pela graça e misericórdia, o nosso coração.

Sidney Costa